europa selvagem

Uma equipa de fotógrafos europeus capturou a pujança da vida selvagem do Velho Continente.

69 fotógrafos, entre os quais os portugueses Nuno Sá e Luís Quinta. Quarenta e seis países, quinze meses, uma missão: celebrar a vida selvagem de um continente mais famoso pelos monumentos ao engenho humano do que pela preservação da natureza. No entanto, como refere um dos directores do projecto, Staffan Widstrand,“a vida selvagem está a regressar devido às determinações políticas e à mudança do estilo de vida.

Quase 20% do território está actualmente sob uma de várias formas de protecção e está em curso uma mudança profunda, à medida que os europeus trocam o espaço rural pela cidade. A vida selvagem está assim a conquistar terreno. Esta amostra de fotografias comprova-o. Juntamente com milhares de outras, expressam as Maravilhas da Vida Selvagem da Europa, uma expedição fotográfica ao coração bravio do Velho Continente.

Os fotógrafos do projecto realizaram 125 missões em numerosos ecossistemas, incluindo os ambientes marinhos dos Açores, as ilhas Desertas, a costa vicentina e a floresta da laurissilva. Encontraram um continente em transição: à medida que o crescimento urbano vai engolindo os habitats selvagens, as terras agrícolas situadas em regiões menos férteis voltam a dar lugar às florestas. Esta tendência deverá manter-se até meados do século, diz o ecologista Magnus Sylven, antigo director dos programas europeus do World Wildlife Fund.

“À medida que abandonamos as zonas rurais, as plantas e os animais ocupam o nosso lugar. Não há vazios na natureza.”

 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar