A história do quotidiano na Antiguidade

DSC 0160

Bronze figurativo romano, encontrado nas escavações da Cidade Romana de Ammaia. Deverá ser uma representação juvenil de Hércules após a conclusão do primeiro dos seus trabalhos. Museu Nacional Arqueologia. Fotografia DGPC/ADF/Matthias Tissot.

Encontrado nas escavações arqueológicas da antiga cidade romana de Ammaia, perto de Marvão, esta figura masculina de bronze, envolvida em pele de leão, deverá ser uma representação juvenil de Hércules. É um de entre milhares de achados em toda a Europa e Norte de África que nos fornecem novas pistas sobre a maneira como as culturas romana, grega ou egípcia lidavam com o quotidiano.
A morte do leão de Nemeia foi o primeiro trabalho de Hércules na tradição helenística. Terá sido provavelmente esse o motivo pelo qual esta peça, cujo orifício da retaguarda sugere que estaria destinada a afixar-se noutro objecto, representa o herói com 
feições juvenis. “O facto de não ostentar qualquer outro atributo sugere que se pretendia justamente evocar o momento após a realização do primeiro trabalho”, comenta o arqueólogo Joaquim Carvalho, da Fundação Cidade de Ammaia. Talvez nunca saibamos a função simbólica concreta deste objecto, nova jóia da colecção do sítio arqueológico de Ammaia (em breve patente na exposição “Lusitânia dos Flávios”, no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa), mas esse é o sortilégio da arqueologia – encontrar artefactos que desafiem as convenções e formar, peça a peça, um puzzle complexo sobre o que pensavam as civilizações que nos precederam.

quaotidiano dupla

Cultivando no Além Sennedjem e a esposa realizam trabalhos agrícolas nos terrenos de Duat, o Além. Na imagem, o casal corta as espigas de trigo, já maduras. Fotografia Corbis/ Cordon Press.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar