Texto Patricia Edmonds   Fotografia  Joel Sartore

 

 

Os machos utilizam as cores fortes da época de reprodução para atrair companheiras e as unhas para manter as parceiras sexuais próximas. As fêmeas crescem mais do que os machos, uma vantagem no momento de transportar muitos ovos grandes. Na época de reprodução, acasalam livremente. Depois, as fêmeas fazem uma longa viagem, por vezes enfrentando águas salgadas, até atingirem os bancos de areia onde depositam e enterram várias ninhadas de ovos por ano. Apesar dos seus esforços corajosos, cinco das seis espécies do género Batagur estão em vias de extinção, diz Rick Hudson, presidente da Aliança para a Sobrevivência das Tartarugas.

O habitat das tartarugas fluviais é prejudicado pela extracção de areias e elas são muito afectadas por capturas fortuitas. Os seus ovos podem ser roubados dos ninhos e muitos exemplares adultos são caçados. Até mesmo a temperatura pode influenciar a sobrevivência: o género das aves e mamíferos é determinado pelos cromossomas, mas o sexo de muitas tartarugas é influenciado pela temperatura no período de incubação. Frequentemente juvenis nascidos em ambientes mais frios são machos e em ambientes mais quentes, fêmeas. As alterações climáticas podem implicar locais de incubação mais quentes, dando origem a uma preponderância de fêmeas e a uma escassez de... papás.

Habitat/Distribuição: Estuários do Sudeste Asiático

Estatuto: Em vias de extinção

Outros factos: As fêmeas depositam os ovos em ninhos com cerca de 30cm de profundidade. A incubação ocorre a diferentes temperaturas.

 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar