gafanhoto

Fotografia: Piotr Naskrecki

Texto: Patricia Edmonds

Para os seres humanos, a iniciação sexual pode ser um momento muito importante e romantizado, mas também uma fonte de obsessões. A perda da virgindade, dizem, muda uma pessoa para sempre.

“A quem o dizes”, poderia concordar o macho de Cyphoderris buckelli. A primeira fêmea com que acasala não só lhe rouba a inocência como lhe arranca pedaços do corpo.

Os insectos desta espécie são parecidos com grilos cuja época de acasalamento anual implica aquilo que o especialista em ecologia Scott Sakaluk chama “uma forma invulgar de canibalismo sexual”. Para seduzir a fêmea, o macho emite um chamamento esfregando as asas dianteiras uma contra a outra. O macho deixa depois a fêmea morder-lhe as asas posteriores durante o acto sexual, sorvendo-lhe hemolinfa – o equivalente ao sangue nos insectos. “Numa noite, ele é virgem. Na noite seguinte, foi trincado”, comenta Scott.

Por que razão alguns machos têm vários encontros e outros não conseguem nenhum? O segredo está no chamamento. Quando o biólogo Geoff Ower comparou o chamamento dos insectos, descobriu “diferenças essenciais” entre o som produzido pelos machos bem sucedidos e pelos outros. A transformação num “petisco sexual” pode retirar a um macho a força necessária, lembra Scott. Quando a época de acasalamento chega ao fim, “apenas alguns ainda chamam. São os mais sortudos e, mesmo assim, foram parcialmente devorados.”

Habitat: Florestas do Noroeste dos EUA e Sudoeste do Canadá

Estatuto: Vulnerável

Facto interessante: Os Cyphoderris buckelli pertencem à mesma ordem dos gafanhotos.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar