pinguins

Crias de pinguim-de-magalhães concebidas através de inseminação artificial prosperam 13 semanas após a eclosão.

Texto: Jane J. Lee

Estes pinguim-de-magalhães criados em cativeiro são pioneiros: fazem parte da primeira espécie de pinguim que se reproduziu por inseminação artificial.

Foi necessária mais de uma década e conhecimentos pormenorizados sobre a ecologia do animal, mas esta espécie era o candidato ideal, lembra Justine O’Brien, directora científica dos programas reprodutivos do SeaWorld. As aves são dóceis e são aparentadas de espécies ameaçadas como os pinguins-africanos ou das Galápagos. Como o método funcionou com o pinguim-de-magalhães, os investigadores esperam que um dia ele possa ser utilizado noutras espécies.

Em última instância, será útil para manter a diversidade genética de populações de pinguins em cativeiro e, possivelmente, restaurar populações extintas em ambiente selvagem.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar