pele do elefante

Encontrar água: Com o quíntuplo dos genes receptores do olfacto dos seres humanos, os elefantes podem encontrar água a quilómetros de distância, mesmo dentro de uma árvore ou debaixo do solo. Banhar-se: Para revestir os corpos com água e lama, os elefantes recolhem líquido com a tromba e lançam-no sobre a cabeça e o lombo. Empoeirar-se: Quando a água escasseia, os elefantes cobrem-se de pó que, à semelhança da lama, lhes protege a pele dos parasitas e da radiação solar.

Texto: Monica Serrano.
Ilustração: Monica Serrano e Clare Trainor. Annie Roth; Alexander Stegmaier.
Fontes: Michel C. Milinkovitch e Colegas, Nature, 2018; Paul Manger, Universidade de Witwatersrand (Joanesburgo); Uicn / Grupo Especialista do Elefante-Africano da SSC

A intrincada rede de fissuras que dá aos elefantes-africanos a sua aparência característica é, na verdade, uma adaptação essencial.

Um elefante pode recolher até 11 litros de água com a tromba.

Milhões de fissuras microscópicas na pele dos elefantes retêm lama e água depois dos banhos de lama, ajudando os animais a permanecerem hidratados. A evaporação originada pela lama e água também ajuda na regulação da temperatura, uma função vital porque os elefantes, ao contrário de muitos mamíferos, não suam.
A investigação de Michel Milinkovitch sugere que as fissuras se formam quando o crescimento da nova pele exerce pressão sobre a frágil camada superficial da pele.

1. Um início mais suave

Os elefantes nascem com uma superfície de pele sem rachas e uma subcamada irregular (a derme) com protuberâncias conhecidas como papilas. Quando as células da pele morrem, acumulam-se em vez de se soltarem.

Os elefantes envelhecem e as camadas de células da pele (estrato córneo) sobre a derme tornam-se mais espessas. Como a pele do elefante não se desprende, a sua epiderme é cerca de 50 vezes mais espessa do que a dos seres humanos. 

A curvatura das camadas acumuladas provoca a formação de fissuras nos canais entre as papilas salientes.

pele do elefante

2. Super-hidratado

A acumulação de camadas com fissuras cria uma rede de canais nos quais a água se move por acção capilar. Este tipo de pele pode reter até 10 vezes mais água do que uma superfície lisa.

3. Escudo de lama contra parasitas

O padrão de fissuras ajuda a impedir que a lama e a água resvalem sobre a pele do elefante, prolongando a protecção contra parasitas, a radiação solar e o calor.

pele do elefante

 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar