GORONGOSA

À medida que a estação seca progride, a regressão de um leito de rio torna-se cada vez mais importante como uma das últimas fontes de água potável no Parque Nacional da Gorongosa, em Moçambique.

Ao longo dos dois meses seguintes, antes da chegada das primeiras chuvas da estação húmida, muitos animais serão forçados a partilhar este espaço. Os peixes presos no leito são presa fácil para as águias, cegonhas e íbis, enquanto patos e gansos se banqueteiam com algas e outras plantas que se encontram na água. Os facoqueros vêm até aqui em busca de banhos de lama refrescantes que os ajudam a libertar a pele de parasitas, enquanto os babuínos parecem utilizar as visitas à lagoa como uma forma de interacção com outros membros do grupo. 

A maioria dos animais vem aqui por necessidades fisiológicas, que se tornarão prementes à medida que a temperatura aumentar no final da estação seca e a água escassear. A qualquer momento, é possível ver um ou dois animais a usar o bebedouro, mas esta fotografia, composta por imagens captadas ao longo de 12 horas, entre a alvorada e o crepúsculo, mostra os diferentes indivíduos que aqui vieram saciar a sede. Estes pontos de água de recurso, que também incluem termiteiras, árvores de fruto e carcaças de animais, têm importância vital para a sobrevivência dos animais da Gorongosa.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar