Em Seia, o novo Viriato “vê” no escuro

 

A nova espécie homenageia Viriato, o prestigiado guerreiro lusitano que povoa o imaginário português.

Em Seia, o velho castinçal da Lapa dos Dinheiros esconde o Buraco da Moura, cavidade natural com aproximadamente cem metros. É uma das maiores grutas de granito do país. Nos níveis de maior profundidade, vive aqui o novo “Viriato”, um escaravelho perfeitamente adaptado à vida na escuridão e que ocupa o mesmo habitat das várias espécies de morcegos que colonizam o tecto da cavidade. O principal alimento desta espécie são justamente os artrópodes, como as larvas de dípteros, atraídos ao guano produzido pelos morcegos.

Foi aqui que o Domene viriatoi foi encontrado pela primeira vez em Portugal, pelos investigadores do CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela em conjunto com a equipa do Centro de  Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais (CE3C), liderada pelo investigador Artur Serrano e que aqui desenvolveram um estudo para conhecer as espécies de coleópteros terrestres subterrâneos do Buraco da Moura.

Este pequeno escaravelho tem 6 a 9mm de tamanho, cor avermelhada e é um predador muito veloz. Apresenta adaptações particulares ao modo de vida subterrâneo, nomeadamente a despigmentação do exosqueleto, a ausência de asas e de olhos compostos funcionais e a presença de apêndices alongados para mais facilmente detectar as suas potenciais presas e predadores.

“Estas adaptações morfológicas são gradativas, dependendo dos locais onde vivem nas grutas e também do tempo decorrido desde que as colonizaram, mas são fundamentais à sobrevivência dos mesmos”, explica Artur Serrano.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar