Um Urso negro que é branco!

 

Os habitantes de Kitasoo, na costa pacífica do Canadá, conhecem este urso  há milhares de anos. Os anciãos contam que Raven, o Criador, transformou a Terra de uma rocha gelada num jardim verdejante. Como lembrete da Era do Gelo, a cada dez nascimentos destes ursos, Raven gera um branco. Os habitantes locais chamam “urso fantasma” ao urso de Kermode e alguns acreditam que são criaturas sagradas ou sobrenaturais.

Para lá do folclore, existe naturalmente ciência na base das características deste urso especial. Pelo género e espécie, é um urso-preto-americano. Mas, se ambos os progenitores (não importa a cor) tiverem a mesma mutação num gene que afecta a produção de pigmento, as suas crias terão pelagem branca. Os investigadores utilizaram armadilhas para recolher amostras de pêlo de ursos e analisaram o seu DNA. Dos 220 ursos estudados, 22 herdaram, de ambos os progenitores, o gene recessivo da pelagem branca e todos esses animais eram brancos.

A estação de acasalamento decorre de Maio a Julho. Se uma fêmea não for suficientemente robusta para sustentar a gravidez, os embriões não serão implantados e ela não terá crias nesse ano. Se a fêmea for saudável e forte, os embriões implantar-se-ão no Outono e, nesse Inverno, nascerá uma ninhada de cinco crias.

Neste aspecto, os ursos usam… a sua magia branca. Para armazenar gordura para o Inverno, passam os dias de Outono a consumir salmão. De acordo com um estudo de 2009, durante o dia, os peixes têm duas vezes mais hipóteses de escapar aos ursos negros do que aos brancos, cujo tom pálido se confunde com o céu.

Ursus Americanus Kermodei

Habitat/distribuição: Ilhas e zona costeira da floresta húmida Great Bear na Colúmbia Britânica.

Estatuto: Está entre os ursos mais raros da Terra. Existem escassas centenas.

Outros factos: O nome científico homenageia Francis Kermode, um dos primeiros indivíduos a identificar a subespécie.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar