Apesar de criados em jardins zoológicos e centros de reprodução, os bisontes-europeus libertados num cercado da Transilvânia, na Roménia, em Maio de 2014, adaptaram-se bem. 

Texto Alison Fromme   Fotografia Staffan Widstrand

 

Cerca de dois terços dos cinco mil Bison bonasus do planeta deambulam livremente na Europa de Leste.

Em Junho deste ano, 14 animais foram libertados definitivamente, o último passo do projecto para reintroduzir o Bison bonasus na Europa.
Os bisontes percorriam o continente europeu há dez mil anos. No século VIII, a caça e a destruição de habitat reduziram a área que ocupavam e empurraram esta espécie para leste. O último bisonte livre sucumbiu em 1927. A geração seguinte teve origem em apenas 12 exemplares que sobreviveram em zoológicos. As reintroduções começaram na Europa de Leste na década de 1950. 

Mapa: Jamie Hawk. Fontes: Tobias Kuemmerle, Universidade Humboldt, Berlim; Malgorzata Bolbot, Livro do bisonte-europeu.

Logo que os 14 exemplares foram libertados, outros bisontes foram transferidos para os cercados. A Rewilding Europe e a WWF coordenam esforços com populações locais visando o turismo. Libertações futuras deverão elevar o número de bisontes na Roménia para pelo menos trezentos animais até 2025.
Ao contrário do seu “primo” americano, o Bison bonasus não é um ícone cultural. “O maior problema da conservação é o desconhecimento”, diz Joep van de Vlasakker, conselheiro do projecto. “Como não é conhecido, não é amado. E como não é amado, não existe apoio para a sua conservação.” 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar