Uma traição perdoada

Que tipo de pai fica em casa a tomar conta das crianças enquanto a mãe está fora… a traí-lo? Resposta: o jacaná, mesmo quando sabe que está a ser traído e que pode não ser o progenitor dos juvenis de que está a cuidar.

 Texto Patricia Edmonds   Fotografia Joel Sartore

Este macho de jacaná foi fotografado no Aquário Dallas World. 

Várias espécies de jacaná contam-se entre os casos mais peculiares do mundo animal no que respeita à inversão do papel do género, explica o ecologista Peter Wrege. Uma fêmea assertiva reúne um harém que pode ser composto por cinco machos de menor porte. Em cerca de uma semana, ela deposita quatro ovos no ninho de um macho e continua a acasalar abertamente com ele e com outros, realizando “até 65 acasalamentos por postura”.
Mesmo em espécies de aves monogâmicas, uma fêmea pode “acasalar discretamente noutro local”, diz Peter que, juntamente com o seu colega Stephen Emlen, observou no Panamá como a “traição” destas fêmeas é pública e frequente. Para perceber de que forma esse facto afectava a paternidade da descendência, a equipa analisou dezenas de acasalamentos e posturas, recolhendo amostras sanguíneas e realizando testes de DNA.

No Panamá, a "traição" destas fêmeas é publica e frequente.

Os investigadores concluíram que para um macho com uma parceira promíscua, “o risco de criar descendentes não relacionados com ele pode ser de 75%”. Por outras palavras, o macho vê a fêmea acasalar com outros machos, mas ainda assim, durante três meses, incuba os ovos e cria os filhotes.
Por que razão o fará? “Basicamente, está encurralado”, resume Peter Wrege. A procura de uma fêmea menos promíscua ocupar-lhe-ia tempo. Embora possa acabar por cuidar dos juvenis de outro macho, o jacaná descobriu que assim atinge o imperativo biológico de reproduzir a própria prole.

JACANÁ

Habitat/Distribuição
Corpos de água doce na maior parte da América Central e do Sul.

Estatuto de conservação
Abundante.

Outros factos
Também é conhecido por “trotador de lírios”, porque as patas grandes o ajudam a andar sobre plantas flutuantes.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.