Caminhe por uma floresta neotropical húmida e verá algo invulgar.

O daimão-das-rochas tem o tamanho de uma marmota, mas é um parente geneticamente próximo do elefante-africano.

Concebidos para a sobrevivência, os ovos de insecto fixam-se e eclodem em qualquer sítio onde os seus progenitores os depositem.

Ao olhar para um lago, vemos uma superfície suave. Um pequeno insecto que anda sobre água vê um terreno difícil.

A origem destas luzes fantasmagóricas intriga há muito os cientistas. Alguns tentaram simulá-las através de experiências complexas, como o físico norueguês Kristian Birkeland no século XIX. Em pleno século XXI, a reprodução da beleza cósmica das auroras boreais continua a estimular a imaginação dos cientistas, mas a tecnologia é mais avançada.

Quando as baleias-francas do atlântico norte migram ao longo da costa leste da América do Norte, têm pela frente um labirinto de linhas de pesca.

NATIONAL GEOGRAPHIC // ECOLABEL

Menos stress para si, menos pressão para o nosso planeta.

Os cientistas já sabiam que as estrelas-do-mar têm olhos, mas novas investigações sobre a Linckia laevigata esclarecem o modo de funcionamento
desses olhos.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar