Venezuelanos recorrem a curandeiros para combater as doenças

Perante a crescente crise nos cuidados de saúde do país, os venezuelanos recorrem aos curandeiros espirituais.

Texto e Fotografia Meridith Kohut

 

Depois de duas semanas sem medicação para a sua doença renal, Oseas Ríos sentia-se tão fraco que mal conseguia caminhar. Médiuns devotos do culto de María Lionza canalizam espíritos numa cerimónia de cura no sopé da montanha da Sorte, perto de Chivacoa.

Certo dia, Yasmary Díaz colocou os três filhos numa carrinha de caixa aberta e empreendeu a viagem desde sua casa, em Guarenas, até uma minúscula barraca de montanha em Zamora. Teve de subir um trilho esburacado. Procurava a cura para um cancro que lhe crescia na mama e, sem outra alternativa disponível, deslocou-se ali para ser tratada por um curandeiro tradicional. 

Procurava a cura para um cancro que lhe crescia na mama e, sem outra alternativa disponível, deslocou-se ali para ser tratada por um curandeiro tradicional.

Seguindo o costume, Yasmary deitou-se sobre o solo de terra, rodeada de velas tremeluzentes e de complexos padrões desenhados com giz branco. Fechou os olhos. De pé, sobre ela, Edward Guidice, de peito nu e colares de contas coloridas e dentes de javali em volta do pescoço, começou a rezar em voz alta, invocando todo o panteão de santos e de espíritos do culto religioso de María Lionza para que esta enviasse um espírito capaz de entrar no corpo de Yasmary Diaz e de curá-la. 

As prateleiras vazias contam a história na farmácia de Silvia Limardo, anteriormente considerada a mais bem abastecida de Caracas. Agora, é difícil ou impossível encontrar mais de 85% dos fármacos básicos como antibióticos, analgésicos, anti-histamínicos ou medicamentos para combater a epilepsia ou a hipertensão. 

Depois, ajoelhou-se, passou levemente uma lâmina de barbear sobre a mama e cobriu-a com flores de hibisco vermelho. Aproximando-se até ficar a poucos centímetros do seu peito, puxou fortemente pelo charuto e, alternadamente, soprou fumo sobre a pele situada acima do tumor e pingou cera vermelha por cima. Acredita-se que o tabaco absorve a doença e que a cura acontece quando a cinza passa de negro a branco. 

NGM Maps.

Yasmary Díaz, de 28 anos, é um dos prováveis milhares de venezuelanos que actualmente recorrem a curandeiros espirituais devido à crise em que se encontra o sistema de saúde do país. Segundo a Federação Farmacêutica da Venezuela, mais de 85% dos medicamentos básicos são inacessíveis ou difíceis de encontrar. As prateleiras das farmácias estão vazias e os hospitais públicos recusam os doentes por indisponibilidade de fármacos.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar