Índice do artigo

CHALET ALPINO - O Chalet da Condessa d’Edla foi quase totalmente reconstruído após o incêndio de 1999. No restauro, mantiveram-se a cortiça e a alvenaria de pedra e cal. O reboco das fachadas foi pintado. Fotografia PSML/Emigus

Um dos espaços menos nobres do palácio é hoje um símbolo de majestade ímpar – a cozinha, devidamente apetrechada e coroada pelas grandiosas chaminés, desperta inevitavelmente a incredulidade dos visitantes modernos. 

Tomando partido do programa articulado de transportes públicos e desconto nos bilhetes, o visitante pode acabar (ou começar, consoante o programa delineado) no Palácio de Queluz, mais perto de Lisboa e implantado numa antiga zona de quintas. Queluz  foi cenário de festas, eventos e recepções: as suas inúmeras salas, quartos e dependências estão profusamente decorados, desde a espelhada Sala do Trono à graciosa Sala da Música, sem esquecer a ala privada da família real, os aposentos de Dona Francisca Benedita e de Dona Carlota Joaquina e a Sala Dom Quixote, onde nasceu e morreu Dom Pedro IV. O ciclo musical do Palácio Nacional de Queluz tem lugar  em Outubro e, uma vez mais, é através da música que o visitante é convidado a viajar no tempo.

A notável decoração de uma das salas do chalet da condessa d'Edla. Dali, avista-se o Palácio da Pena. Fotografia PSML/Wilson Pereira.

A luz de Queluz provém do exterior e dos magníficos jardins que estão a ser preparados para recuperar a exuberância de outrora, após décadas de algum desleixo. 

Nas últimas décadas do século XX, foram encontrados vestígios de azul por detrás de bustos em fachadas distintas, sugerindo que essa fora a cor original do reboco  do palácio. Análises posteriores detectaram grãos angulares de silício e cobalto, vestígios de um antigo pigmento com origem em vidro moído utilizado desde a Antiguidade Clássica. 

A viagem termina com um último olhar ao recorte da serra de Sintra, uma ideia admirável do rei-artista. Dom Fernando  II pintava com inegável habilidade e assinava as suas obras singelamente com a expressão latina: FC fecit (Feito por Fernando de Coburgo). Faltou gravar em Sintra essa assinatura monumental.

Ilustração Anyforms

CADERNO DE VIAGEM

Como se deslocar: O Sintra Green Card disponibiliza a visita mais económica aos três palácios nacionais.

Modalidades: Sintra Green Card
2 palácios (comboio Lisboa-Sintra, autocarro em Sintra, Pena e PN Sintra, visita a um museu) por 31 euros, ou Sintra Green Card 3 Palácios (igual ao anterior mas com extensão ao Palácio de Queluz) por 39,50 euros.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar