palácio de queluz

A fachada do Palácio recuperou as cores originais.

O Palácio de Queluz remonta aos tempos em que a nobreza e a corte festejavam efusivamente o seu modo de vida.

O Palácio de Queluz, quase às portas de Lisboa e a curta distância de Sintra, teve sempre uma localização favorável à deslocação dos reis e nobres até esta antiga zona de quintas.

A génese do Palácio reside na antiga Casa de Campo de Queluz, pertença do primeiro marquês de Castelo Rodrigo. Sofreu alterações às mãos do seu filho, que a remodelou, transformando-a numa grande quinta de recreio, que, posteriormente, foi confiscada após a Restauração da Independência em 1640 e doada ao infante Dom Pedro, futuro rei Dom Pedro II.

Passaria ainda um século até Dom Pedro III produzir uma revolução em Queluz, inspirado no que se passava então em Versalhes, em França. Entre 1747 e 1786, Dom Pedro III impulsionou as obras, mandando ampliar o chamado Paço Velho. O Palácio começou a ganhar corpo, sendo idealizado como estância de veraneio.

VERSALHES PORTUGUÊS

Seguindo os ditames da época, a concepção orientava-se pela exuberância dos estilos barroco, rococó e neoclássico. Com a sua edificação, pretendia-se uma equiparação aos faustosos palácios que germinavam pela Europa, sobretudo em França, em Espanha e na Baviera. Queluz tornou-se assim o cenário de celebrações, eventos e recepções que reuniam elementos da família real e destacadas figuras da nobreza. A música predominava – na decoração e nos espectáculos da corte. Na transição entre os séculos XVIII e XIX, Queluz foi mesmo habitado pela família real até à fuga para o Brasil devido às Invasões Francesas.

planta palácio de queluz

1. Biblioteca de Arte Equestre 2. Sala dos Embaixadores: Também foi sala de concertos durante o reinado de Dona Maria I, mas tornou-se o local nobre do palácio para receber altos dignitários. 3. Lago de Neptuno 4. Lago dos Macacos 5. Jaulas das Feras: Neste local, na primeira metade do século XIX, chegaram a ser enjaulados animais selvagens de grande porte, como leões e tigres. 6. Quarto Dom Quixote: O quarto trágico onde nasceu e, mais tarde, morreu Dom Pedro IV, que reinou no Brasil como Dom Pedro I. 7. Monumento de Dona Maria I 8. Pátio da Lontra 9. Jardim de Malta 10. Jardim Pênsil 11. Pórtico da Fama 12. Pavilhão de Dona Maria I: Última ala construída no palácio, é com frequência o local onde pernoitam lÍderes estrangeiros. A rainha Isabel II, de Inglaterra, dormiu aqui durante a visita de 1957. 13. Cisterna

UM SONHO ABSOLUTISTA

Ao percorrer as salas, os quartos, os salões e os corredores do Palácio de Queluz, o visitante facilmente se apercebe do ambiente de luxo e sofisticação que ali se vivia. Queluz é uma interpretação de pedra dos sonhos absolutistas da realeza.

Não é preciso muito para imaginar o ambiente das festas, das serenatas dos espectáculos de fogo-preso e de artifício e dos jogos equestres e touradas, a cavalo e a pé, sempre com a música como painel de fundo.

Os 16 hectares dos jardins são uma das peças-chave para entender o conceito do palácio, pois prolongam-no através das construções vegetais. Não É por acaso que a fachada principal se debruça para esse espaço onírico.

No interior, vale a pena deambular pelas salas do Trono, da Música dos Embaixadores, do Toucador e dos Archeiros, pelo Corredor das Mangas ou dos Azulejos, pelo Quarto de Dom José e pelo Quarto Dom Quixote, pela Sala do Lanternim, pelos aposentos da Princesa Dona Maria Francisca Benedita, pela Sala de Fumo, pela Sala de Jantar e pelos aposentos da rainha, entre outras dependências, não deixando de atentar na sofisticação das ornamentações. Um dos quartos guarda uma história trágica: foi ali que Dom Pedro IV nasceu e morreu, com 35 anos de intervalo. Nos jardins, o visitante deambula entre arbustos geométricos, reparando nas estatuetas e fontes, e tentando reviver a época de luxo da realeza portuguesa.

sala palácio de queluz

HÁ MÚSICA EM QUELUZ. Seguindo uma tradição cultural que já se enraizou no Palácio de Queluz, as tradicionais Temporadas de Música continuam a ter lugar em algumas das salas do palácio. Os eventos musicais resultam de uma parceria entre a Parques Sintra-Monte da Lua e o Centro de Estudos Musicais Setecentista de Portugal.

Palácio Nacional de Queluz

Largo do Palácio de Queluz

Horário: Todos os dias da semana, das 9h às 18h

Contactos: Tlf.: +351 219 237 300

GPS: 38º45.23 N 9º 15.16 O

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar