Pegadas de dinossauro na praia da Parede

Um paleontólogo especialista em trilhos de dinossauro é muitas vezes forçado a repetir o provérbio grego e a tentar identificar o gigante através do dedo, ou pegada, por este deixado. 

Texto Gonçalo Pereira Rosa   Ilustração Anyforms   Fotografia Luís Quinta. 

100 milhões de anos - No Albiano Superior, esta seria a configuração da Terra, com o proto-oceano Atlântico já em formação. A ilustração sugere a possibilidade de se tratar de trilhos produzidos por dinossauros semelhantes a Diplodocus. Fonte do mapa: Colorado Plateau Geosystems.

 

Esse foi certamente o caso da descoberta de dois trilhos na praia de Parede, perto de Cascais. Uma equipa ibérica de investigadores estudou as pegadas apenas visíveis na maré baixa e após remoção substancial de areia pela maré, e atribuiu-o ao Albiano Superior, há cerca de 100 milhões de anos, um intervalo para o qual o registo fóssil mundial é escasso em saurópodes. Estes dinossauros deixaram pegadas no litoral de um mar de pequena profundidade e de águas quentes, pois, durante o Albiano, a Península Ibérica estava mais a sul e o clima era tropical.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar