Restaurado em Portugal avião que participou no Dia D

A 6 de Junho de 1944, as tropas aliadas invadiram a Normandia na maior operação militar da Segunda Guerra Mundial. Um dos intervenientes está a ser restaurado em Portugal. 

Texto e Fotografia António Luís Campos

 

O DC-3 foi um dos mais bem sucedidos aviões da história moderna. No âmbito do seu septuagésimo aniversário, a TAP  está a adaptar uma aeronave, repintando-a com as cores e logótipos dos seus primeiros voos.

Com efeito, um avião Douglas DC-3, conhecido no meio como Dakota, que lançou pára-quedistas norte-americanos sobre França no Dia D, operou depois em linhas comerciais na Irlanda e Israel, acabando por chegar em 1987 às mãos da TAP. 
Graças ao grupo de voluntários Vintage Aero Club, a recuperação foi efectuada no Museu do Ar, em Sintra, no âmbito das comemorações do 70.º aniversário da transportadora, em 2015.

O exterior ostenta o primeiro logótipo da TAP, tal como no tempo em que os Dakota faziam a Linha Aérea Imperial.

Todo o interior foi repintado, vários componentes reparados, os assentos estofados e o equipamento de controlo no cockpit foi desmontado para que o resultado final seja o mais fiel possível ao original. O exterior ostenta o primeiro logótipo da TAP, tal como no tempo em que os Dakota faziam a Linha Aérea Imperial, inaugurada em 1946, a mais longa ligação no mundo feita nestes aviões, que ligava Lisboa a Lourenço Marques [hoje, Maputo], em Moçambique. Este modelo de aeronave foi, de longe, o mais fabricado de sempre na história da aviação de passageiros, com uma produção superior a dez mil unidades. 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar