Nos Estados Unidos, fogo-de-artifício parece atravessar a Lua cheia.

O recife Mesoamericano, na América Central, tem metade do comprimento do seu famoso homólogo australiano. 

Dezenas de quilogramas de folha de eucalipto são preparados para destilação por arrastamento de vapor. 

Com 19 anos e 22 recordes nacionais,  o prodígio da natação Michael Andrew treina com o pai e treinador, Peter, na piscina de  sua casa, em Lawrence, no Kansas (EUA).

A pele transparente de uma rã-de-vidro revela os seus ovos. 

nau

Pasaia, na costa de Guipúscoa, é o segundo porto mais importante de Euskadi, depois de Bilbau. Há cerca de 500 anos, a nau baleeira San Juan partiu da sua ria rumo à Terra Nova.

Congelada durante milhares de anos no leito de um rio siberiano, esta presa de mamute é uma bênção económica para o caçador que a encontrou.

Os gigantes desgrenhados que vaguearam pelo Norte da Sibéria no final do Plistocénico extinguiram-se há cerca de dez mil anos, embora populações isoladas continuassem a resistir a norte e a leste: os últimos espécimes morreram há cerca de 3.700 anos.

O cruzamento de Shibuya, em Tóquio, talvez seja a encruzilhada mais movimentada do mundo.

Com ventos fortes, milhares de animais pelágicos que vivem à superfície do mar, como este hidrozoário conhecido por “veleiro”, podem arrojar às praias.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar