Os elefantes dispõem de quilómetros contínuos para deambular no Parque da Rainha Isabel, no Uganda. Concentram-se aqui 2.500 animais. Trata-se de um aumento considerável depois de uma época de caça furtiva, na década de 1980. Fora da reserva, os aldeãos matam os elefantes que espezinham e devoram as colheitas, mas os ataques estão a diminuir. 

O olhar dos nossos leitores mostra-nos uma visão do mundo muito pessoal. Conheça as nossas escolhas deste mês.

A electrorrecepção é uma adaptação espantosa. A cabeça apresenta pequenos poros contendo um fluido gelatinoso, as ampolas de Lorenzini. Estes receptores são sensíveis à temperatura, salinidade e pressão da água e permitem detectar campos eléctricos gerados por outros animais, como o batimento cardíaco de um mergulhador. Nos Açores, chamam-lhe tintureira, mas ele é conhecido no mundo como tubarão-azul.

Em anos de precipitação elevada no Inverno, quando os vários rios subterrâneos das serras de Aire e Candeeiros excedem o seu caudal, a água sai por diversas exsurgências e cria-se uma lagoa na depressão cársica de Mira de Aire-Minde (polje de Minde). 

Na 140.ª edição anual da prova equestre de Kentucky, nos Estados Unidos, Sophie Gillotti mostra  a sua capa de telemóvel com o rosto de Kim Kardashian. A celebridade não esteve presente no evento em 2014, mas os 164.906 espectadores assistiram no hipódromo à vitória do California Chrome.

No Museu do Criacionismo de Petersburg, no estado de Kentucky, Adão e Eva partilham o Paraíso com um dinossauro.

O olhar dos nossos leitores mostra-nos uma visão do mundo muito pessoal. Conheça as nossas escolhas deste mês.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar