Na costa norte de Oman, uma equipa de jovens escaladores testa, e de que forma, os seus limites, enfrentando falésias cortantes como facas. Na imagem, Hazel mergulha durante uma escalada psicobloco.

Em Agosto de 2012, 138 pessoas deram as mãos sobre a cidade de Chicago e saltaram em queda livre. O fotógrafo também saltou de cabeça para baixo, accionando a máquina fotográfica do capacete com um interruptor que transportava na boca.

Os cavalos mudaram a vida nas Grandes Planícies. Permitiram que se caçasse mais do que antes. Desequilibraram a balança do poder em favor dos guerreiros montados. E tornaram-se símbolos de riqueza. Para os nativos americanos contemporâneos, os cavalos ainda são uma marca da tradição, do orgulho e de cura.

Na ilha de Rinca, durante a maré baixa, um dragão movimenta-se com as patas bastante afastadas.

Um salto de 29 metros enerva a maior parte dos mortais, mas "naquele instante, tudo está calmo", diz o mergulhador colombiano Orlando Duque, participante da etapa açoriana do Red Bull Cliff Diving World Series que decorreu em Vila Franca do Campo. Desta vez, Orlando ficou em segundo lugar.

Para ver o nascimento de uma estrela, é preciso um telescópio de diâmetro superior a muitas cidades. Na imagem, a luz do pôr-do-sol dança nas antenas que constituem o Atacama Large millimeter/Submillimeter Array (ALMA), no alto do deserto chileno de Atacama.

Iniciada em 1296, a catedral é, na sua maior parte, gótica, com arcos ogivais e angulosos espaços verticais. Quando Brunelleschi começou a trabalhar na cúpula, 124 anos mais tarde, já o estilo gótico se tornara obsoleto. No entanto, é intemporal e é o orgulho e imagem de marca de Florença.

Algo como perto de trezentas pessoas a cada mês, deslocam-se até às dunas do deserto da Namíbia nos arredores de Swakopmund para praticar a recente modalidade de sandboard. Segundo os fãs, a areia é mais lenta do que a neve, mas muito mais suave quando se cai.

A desconhecida ilha de Europa encontra-se-se entre a grande ilha de Madagáscar e África austral. Poucos mergulhadores já exploraram os recifes em redor de Europa, nesta zona do canal de Moçambique conhecida pelos seus enormes remoinhos, correntes ascendentes repletas de nutrientes produtivos, correntes sinuosas e uma rebentação espectacular.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar