Na Amazónia, sempre atentos à possibilidade de se cruzarem com algumas das cobras mais venenosas do mundo, é com descontracção que os investigadores encaram os encontros mais frequentes com espécies inofensivas, como esta Imantodes cenchoa.

Com aplicações energéticas, farmacêuticas, médicas, cosméticas ou alimentares, as algas estão no centro do debate.

O atol de Saint Joseph, de propriedade privada, foi outrora explorado para fins comerciais, em negócios de peixe e coco, mas hoje é valorizado pela sua biodiversidade marinha e colónias de aves marinhas.

Uma aurora boreal ilumina o céu no Parque Nacional de Jasper, na província de Alberta.

Não são plantas nem animais, mas foram os primeiros organismos a colonizar terra firme há cerca de 1.300 milhões de anos. 

Sectores de Yellowstone são mais selvagens agora do que foram no último século. Os ursos-pardos estão a disseminar-se.

Na Deserta Grande, um caranguejo-cabra adulto (Grapsus adscensionis) procura algas para se alimentar.

Sempre atentos à menor perturbação do seu habitat, os flamingos funcionam em grupo, precavendo-se contra os predadores ou intrusos. 

As águas do Tejo continuam a esconder segredos. 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar