Congelada durante milhares de anos no leito de um rio siberiano, esta presa de mamute é uma bênção económica para o caçador que a encontrou.

Os gigantes desgrenhados que vaguearam pelo Norte da Sibéria no final do Plistocénico extinguiram-se há cerca de dez mil anos, embora populações isoladas continuassem a resistir a norte e a leste: os últimos espécimes morreram há cerca de 3.700 anos.

O cruzamento de Shibuya, em Tóquio, talvez seja a encruzilhada mais movimentada do mundo.

No passado, esta cultura amazónica travou a construção de uma barragem, mas, agora os seus chefes enfrentam nova batalha. 

O recife Mesoamericano, na América Central, tem metade do comprimento do seu famoso homólogo australiano. 

Dezenas de quilogramas de folha de eucalipto são preparados para destilação por arrastamento de vapor. 

Visto de cima, um pedaço de papel branco sem divisórias visíveis (dobrado na forma de um olho) contém 81 bailarinos do New York City Ballet. 

A pele transparente de uma rã-de-vidro revela os seus ovos. 

nau

Pasaia, na costa de Guipúscoa, é o segundo porto mais importante de Euskadi, depois de Bilbau. Há cerca de 500 anos, a nau baleeira San Juan partiu da sua ria rumo à Terra Nova.

Por norma, quando é possível observar lontras juntas, o mais provável é ser uma mãe com crias.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar