Um cortinado estampado com uma imagem de Istambul serve de cenário num programa da televisão turca. As séries televisivas tornaram-se um importante produto de exportação na Turquia. São vendidas para todo o Médio Oriente.

Nas últimas seis décadas, o número de dias em que pelo menos um tornado atingiu o solo dos Estados Unidos tem vindo a diminuir. Quando James Elsner, especialista em clima, viu os dados sobre este declínio, estranhou esse dado. “Sabemos que a atmosfera está a tornar-se mais quente e mais húmida e, por isso, seria de esperar ver alguma marca das alterações climáticas na actividade dos tornados”, afirmou.

Visto de cima, um pedaço de papel branco sem divisórias visíveis (dobrado na forma de um olho) contém 81 bailarinos do New York City Ballet. Esta imagem com 603 metros quadrados foi criada em colaboração com o artista francês JR.

Para o projecto pessoal “Pelo Largo Querido”, que mostra argentinas com um cabelo excepcionalmente longo, esta fotógrafa pediu a mulheres de Neuquén, na Patagónia, para soltarem o cabelo.

Os vikings acreditavam que, após a morte, um barco os conduziria ao Além. Em Lindholm Høje, na Dinamarca, existe uma necrópole com alinhamentos líticos que representam cascos de navios.

Na aldeia de Kurtna, na Polónia, um pónei chamado Rainbow aquece-se ao sol do Inverno. O animal de quatro anos é descendente de um cavalo nativo estónio e de um pónei Shetland, duas raças conhecidas pela sua resistência e versatilidade.

Ácaros da ordem Scutacaridae, fortemente blindados, andam à boleia em artrópodes maiores do que eles (incluindo outros ácaros) em busca de alimento, deixando-se cair quando chegam a uma fonte de fungos frescos e outros micróbios. 

Num laboratório da Universidade do Alasca, esquilos em hibernação suscitam a curiosidade médica. Durante a hibernação, que dura sete meses, o esquilo consegue descer a sua temperatura corporal abaixo do ponto de congelação, mas evita danos cerebrais graves.

Uma das primeiras estrelas do universo explode, rebentando o seu halo de matéria escura invisível e semeando o espaço com carbono, oxigénio e outros elementos. Esta simulação informática mostra que as estrelas poderiam nunca ter-se formado e certamente não o fizeram numa fase tão precoce, 100 milhões de anos após o Big Bang, sem a força gravitacional gerada pela abundante matéria escura.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar