Um gafanhoto do género Pterochroza, no Parque Nacional Yasuni, no Equador, exibe asas que imitam os olhos de um animal muito maior, uma estratégia para dissuadir potenciais predadores.

Estratégias evolutivas como a cripse, que permite aos organismos passarem despercebidos na natureza, ou o mimetismo, uma habilidade graças à qual muitas espécies simulam aparências estranhas, são provas disso. Não é em vão que muitas plantas, invertebrados, peixes, aves, reptéis, anfíbios e mamíferos (e até bactérias e vírus) evoluíram nesse sentido.

Saiba mais em: Na natureza, a camuflagem é uma arte e uma necessidade

camuflagem

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar