Em Outubro de 2017, dois mariscadores detectaram destroços de embarcações naufragadas à beira de Lisboa.

A carga e as circunstâncias inusitadas do achado sublinham a necessidade de retomar o debate sobre o achador fortuito e a arqueologia.

Saiba mais em Arqueologia subaquática: Escondidos no Tejo

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar