À medida que as focas morrem, também o mar morre, diz o provérbio grego. 

Num esporão da Costa de Caparica, esta anémona-morango fecha-se para reter os fluidos durante algumas horas na maré vazia.  

No Parque Nacional de Gran Paradiso, antiga coutada real de caça, conserva-se uma costela selvagem de Itália. 

Anualmente, a 15 de Julho, no rio Huong, em Hue (Vietname), jovens mulheres envergam trajes tradicionais e lançam ao rio flores de papel com velas acesas para iluminar as almas dos antepassados. O feriado começou na China medieval mas hoje é celebrado em toda a Ásia.

No ginásio ao ar livre de Kachalka, em Kiev, na Ucrânia, um antigo ginasta soviético mostra a sua agilidade aos 83 anos. 

Misterioso e noctívago, o mocho-de-orelhas é a mais pequena ave de rapina existente em Portugal. 

Não se conhece ao certo o número de garças-vermelhas que nidificam na Reserva Natural do Estuário do Sado. 

A espécie pode ser identificada no campo sem necessidade do sacrifício dos animais. 

O legado soviético ainda está presente 27 anos depois da declaração de independência. 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar