Tecnicamente, é uma tecnologia antiga. Agora, porém, o princípio de Arquimedes com dois mil anos foi aplicado a uma escala gigantesca. 

Gráfico Jason Treat; Kelsey Nowakowski. Arte: Bryan Christie. Fontes: Empresa China Three Gorges; Autoridade de Navegação das Três Gargantas; Krebs+Kiefer Engineers

 

A BARRAGEM DAS TRÊS GARGANTAS - Foi concluída em 2012 após 18 anos de construção. A maior central hidroeléctrica do mundo aumentou o tráfego económico a montante do rio, mas fez deslocar pelo menos 1,3 milhões de pessoas e originou alterações ecológicas significativas. 

A Barragem das Três Gargantas, uma infra-estrutura monumental chinesa no rio Yangtzé, é um dos maiores projectos de engenharia do mundo. Inaugurado no final de 2016, o novo elevador de navios é uma balança hidráulica que eleva e baixa embarcações, permitindo-lhes atravessar a barragem. 
O princípio de Arquimedes é simples: o peso de um objecto flutuante é igual ao peso da massa que desloca. Ou seja, duas câmaras idênticas cheias com a mesma quantidade de água, equilibram-se numa balança. Adiciona-se um objecto, neste caso uma embarcação, a uma delas e deixa-se sair uma massa correspondente de água, recuperando o equilíbrio. 

COMO FUNCIONA: 1 - Entrada no elevador: os navios entram na câmara que tem 2.650 metros de profundidade e uma extensão de 18 metros. A câmara pode conter embarcações com peso máximo de três mil toneladas. 2 - A elevação da câmara: a câmara foi construída com betão armado e está suspensa por 256 cabos fixos a contrapesos. Quando os contrapesos descem, a câmara sobe. 3 - Saída do elevador: no topo, o volume da câmara fica nivelado com o volume de água do sector mais alto da barragem. Um portão de aço abre-se e a embarcação abandona a câmara. 4 - Contrapesos: pode ser acrescentada, ou retirada, água às câmaras para ajudar a subida ou a descida. A gravidade funciona como a principal fonte de energia do elevador, e os motores eléctricos são usados para assegurar a estabilidade e segurança. 5 - Segurança: a câmara é acompanhada na subida e na descida por quatro parafusos estáticos – as hastes rotativas de bloqueio. Em caso de acidente, os parafusos, que funcionam em trilhos em forma de rosca, ficam bloqueados e a câmara imobiliza-se.

Este sistema foi desenhado para acomodar navios com peso máximo de três mil toneladas. A barragem  abriu inicialmente com um sistema de comportas semelhantes às do canal do Panamá. 
O novo elevador faz subir e descer navios com recurso a cabos, uma eclusa, motores e a gravidade. Contrapesos de cimento e água mantêm o sistema em equilíbrio.

A empresa Chine Three Gorges, responsável pelo desenho do elevador com apoio de engenheiros alemães, espera vários benefícios: menos consumo de energia, aumento da capacidade dos navios, crescimento do tráfego de passageiros, menores emissões de carbono e ainda menos dispêndio de tempo. A travessia que em tempos demorava três a quatro horas demora agora apenas 40 minutos.

EFEITOS DO TRÁFEGO - O tráfego de carga através das eclusas cresceu mais rápido do que o previsto depois da abertura em 2003, enquanto o tráfego de passageiros diminuiu. Outros projectos recentes de infra-estruturas oferecem rotas mais rápidas para os trabalhadores migrantes através desta região.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar