Agulhas no estômago

Texto  Rachel Hartigan Shea   Fotografias  Rebecca Hale (cápsulas); Carl Schoellhammer e Giovanni Traverso (pulmões), Hospital Central de Massachusetts/Escola Médica de Harvard

 

 

Os comprimidos, porém, não são perfeitos. As injecções intravenosas introduzem os fármacos na corrente sanguínea mais rapidamente, e alguns medicamentos baseados em proteínas, como a insulina, não podem ser administrados de forma oral porque o estômago começa a digeri-los antes de terem tempo de ser absorvidos.

Uma equipa de investigação propôs agora um sistema melhor: engolir a agulha. Por fora, estes novos comprimidos “são semelhantes a qualquer outro multivitamínico”, explica o engenheiro químico Carl M. Schoellhammer. “Porém, ao chegarem ao estômago, a camada exterior dissolve-se, revelando as agulhas.” As agulhas de aço inoxidável libertam o fármaco ao penetrarem no revestimento do tracto gastrointestinal. O processo é indolor. Até agora, os comprimidos foram testados apenas em animais, que não apresentaram sintomas de dor ou lesão. No entanto, a expulsão desta pílula demora um pouco mais: um dos animais do teste demorou sete dias a expeli-la.

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.