A luz que chega à Terra desde a pré-história

Em astronomia, as unidades de medida são tão exorbitantes, que se torna difícil compreender o que seria percorrer 150 milhões de quilómetros, o equivalente a uma Unidade Astronómica (UA) ou a oito minutos-luz, aproximadamente a distância média entre a Terra e o Sol. 

Texto e Fotografia Miguel Claro 

 

Galáxia de Andrómeda, captada no céu da Reserva Dark Sky Alqueva, no Alentejo.

No universo, quando falamos de um objecto distante, como a galáxia de Andrómeda (M31), passamos a definir a distância a que um astro se encontra de nós através da medição do tempo que a luz demora a percorrê-la, sabendo que esta se desloca a cerca de 300 mil quilómetros por segundo. Porém, a forma mais clara de compreender estas grandes distâncias é o recurso à própria história da humanidade.

A luz que nos chega hoje desta galáxia espiral próxima da Via Láctea foi projectada para o espaço há cerca de 2,5 milhões de anos

A luz que nos chega hoje desta galáxia espiral próxima da Via Láctea foi projectada para o espaço há cerca de 2,5 milhões de anos, sensivelmente na altura em que apareceu pela primeira vez o género que viria a dar origem ao homem moderno, o género Homo. Enquanto a luz proveniente da galáxia viajava no espaço escuro e profundo do universo, na Terra os hominídeos evoluíram rapida e seguramente até ao Homo sapiens sapiens, capaz de sentir, explorar, estudar e… maravilhar-se com o universo em evolução onde se insere. 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar