Durante duas semanas, esta pequena baleia-de-bossa alimentou-se diariamente junto da costa na baía das Lajes, na ilha açoriana do Pico. “Visível a olho nu de terra, foi um espectáculo para a população local e turistas”, diz João Quaresma, das Lajes do Pico. “Ao final da tarde, tive a sorte de a fotografar quando ela iniciou novo mergulho.”, explica o autor da imagem.

 

 Em Buseu, nos Pirenéus espanhóis, uma autêntica concentração de aves necrófagas sinalizava a oportunidade fotográfica. Entre mais de duzentas aves, Nuno Silva, de Vila Real, captou este grifo, “que mais parece um bombardeiro, prestes a aterrar para se alimentar”.

Fotografado milhares de vezes, o Convento de Cristo, em Tomar, é um desafio para todos os amantes da arquitectura e da fotografia. Numa visita ao monumento, classificado como Património Mundial, o autor, José Carlos Teixeira, de Vila do Conde, jogou com as curvas da escada em caracol e a perspectiva diferente do claustro num dia chuvoso. “A perspectiva do interior das escadas com o pátio central do claustro uniam-se de forma harmoniosa”, conta.

Depois de algum tempo a seguir os movimentos de uma alcateia no Parque Nacional da Peneda-Gerês, o fotógrafo Carlos Pontes, de Viana do Castelo, conseguiu decifrar os hábitos desta fêmea adulta. Analisando o vídeo que recolhera dela, reparou que se tratava da fêmea alfa e que ela estaria prenhe. “Esta fotografia ganhou para mim muito mais valor quando me apercebi de que estava perante um animal que carrega a responsabilidade de seguir a linhagem de um grupo de espécies das mais sensíveis que temos”, comenta.

 

Descubra uma nova visão do mundo!

Assine a National Geographic.

Pesquisar